sábado, 19 de janeiro de 2013

PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SOCIAL PARA ESCOLAS - Projeto escolar "Espaços Verdes" - Para escolas de primeiro e segundo grau - Modelo de projeto que integra conceitos ambientais e sociais - Interdisciplinaridade - Cidadania planetária - Conceito de completa sustentabilidade - Espaços verdes vivenciais - Ensino direcionado às propensões e necessidades dos alunos - Projeto de educação ambiental - Mudança de conceitos e costumes - Mudanças efetivas no modelo educacional e nos conteúdos a serem transmitidos e fixados

Arte e amor às árvores, transmitidos em uma só atividade

Projeto Espaços Verdes




Modelo de projeto educacional para escolas, podendo ser adaptado para ongs e instituições





INTRODUÇÃO

É claro, nos dias de hoje, a necessidade de um redirecionamento nos projetos educacionais que pretendem formar novas consciências e novas atitudes frente aos crescentes problemas ambientais, ecológicos e sociais deste início de século.
O projeto Espaços Verdes, inspirado nas conclusões e encaminhamentos da conferência Rio + 20, vem dar sua contribuição para o alcance da completa sustentabilidade, através de uma proposta diversificada de teorias e práticas que integrem as diversas áreas humanas envolvidas, a interdisciplinaridade e os ambientes e seres naturais afetados pela ação antrópica indevida.



OBJETIVOS GERAIS – Apresentação teórica

MUDANÇA DE CONCEITOS E COSTUMES
O projeto Espaços Verdes, em implementação na escola, compõem-se de uma série de palestras, aulas, reuniões, oficinas, dinâmicas e eventos realizados ao longo de sua aplicação, com o objetivo de fixar conceitos e estimular uma eficaz mudança de costumes, por meio da repetição, da continuidade e da dinâmica compreensão de todos os aspectos relacionados à preservação do meio ambiente e da interdependência dos seres vivos.

CIDADANIA PLANETÁRIA – Rio + 20: e eu com isso?
A relação indivíduo/sociedade tem seu conceito expandido através da transmissão, aos alunos participantes, da ampliação do seu nível de consciência para a alteridade e a cidadania planetária. Este nível de consciência é indispensável para que cada aluno ou participante considere os problemas ambientais do planeta, e os sociais, como também seus.

COMPREENSÃO SISTÊMICA
Não se concebe espaços verdes construídos desvinculando árvores, arbustos e plantas rasteiras dos seres microscópicos, dos insetos, das aves, dos animais e, logicamente, do homem que os construiu. O objetivo é construir, também, espaços anímicos(neologismo) integrados aos espaços verdes. Portanto, insere-se neste projeto a compreensão sistêmica e o posicionamento adequado que os educados devem apreender e atuar em relação aos seres vivos e nas suas relações sociais. Admite-se os ciclos naturais, como o da água e o do carbono, como exemplos de inspiração aos educadores quando criaram os conceitos de reaproveitamento e reciclagem.
  
COMPLETA SUSTENTABILIDADE E OS DIREITOS DOS ANIMAIS
A redução no consumo, da mesma forma, advém da observação dos limites impostos pela natureza a todas as formas de vida. Para os humanos, não seria diferente. Eles devem diminuir – por uma opção racional e inteligente – o consumo atual dos recursos naturais até o ponto possível determinado pela própria dinâmica de reabastecimento dos ciclos naturais (completa sustentabilidade) e pela relação ética entre humanos e animais.

ENSINO DIRECIONADO
O ensino tendencialmente direcionado às aptidões e peculiaridades dos alunos é uma necessidade em dias que exigem transformações adaptativas para uma humanidade que deve evolucionar-se com rapidez e sustentabilidade. Desta forma, procurou-se propiciar aos alunos participantes ambientes didáticos diversos, conforme suas propensões, aptidões e necessidades.

OS QUATRO ELEMENTOS BÁSICOS DA NATUREZA
Água, ar, sol e terra são essenciais à criação e manutenção de espaços verdes. Nas palestras, aulas, eventos e outras atividades didáticas salientam-se as características destes elementos, nossa dependência direta e indireta e o grau de interferência dos seres humanos sobre eles.
ESPAÇOS VERDES VIVENCIAIS
Além dos óbvios espaços verdes didáticos, aproveitam-se e criam-se espaços verdes vivenciais com o objetivo de propiciar ambientes estimuladores ao importante exercício da auto-produção e do usufruto das belezas naturais. Sempre que possível, indivíduos, famílias e grupos devem cultivar seus próprios jardins e alimentos, confeccionar seus utensílios e produtos, criar seus animais e utilizar sua energia muscular. Estas são exigências imprescindíveis à completa sustentabilidade.



OBJETIVOS ESPECÍFICOS – Apresentação das práticas

Para a transmissão dos princípios gerais descritos acima, o projeto Espaços Verdes desenvolve-se através das seguintes atividades e eventos:

Oficina e atividade produtiva de:

- horta orgânica caseira;

- plantas ornamentais;

- ervas medicinais;

- árvores nativas ou exóticas, preferencialmente frutíferas;

- construção de abrigos para pássaros;

- animais de estimação, se possível;

- aves, se possível;

- aquário;

- terrário e

- microscópio

- outros

Obs.:

Oficinas: em espaços didáticos (por ex: unidades demonstrativas para horta vertical dispostas em área livre que possa receber 30 alunos)
Atividades produtivas: em espaços vivenciais (por ex: horta tradicional onde poucos alunos vão colaborar na produção normal de verduras)


Um exemplo, em seqüência:

1 - Palestras e aulas sobre temas relacionados à próxima oficina.

2 - Oficina e atividade produtiva, por exemplo, de produção de mudas de árvores frutíferas – por semeadura, por transplante e por estaquia, utilizando algumas modernas técnicas da agricultura urbana, tais como a permacultura, o cultivo vertical e as técnicas da hermeticultura, que possibilitam a máxima economia de tempo e água. Nas oficinas, ensinam-se aos alunos princípios de ética comportamental planetária, tais como : "Não se preocupe em escolher a mudinha mais bonita para levar para sua casa. Cuide bem de uma mais fraquinha e se ela for plantada em qualquer quintal ou praça, estará sendo boa para você e para todos, como se estivesse no quintal ou na frente da sua casa"

3 - Oficina e atividade produtiva de pintura artística em garrafas-pet, que servirão como berço ornamental para as mudas feitas pelos próprios alunos.

4 - Doação das mudas produzidas aos pais, funcionários, professores, convidados e a ONGs ambientalistas durante evento social significativo.

5 - Reuniões para avaliação das atividades até aquele momento realizadas, maior fixação dos conceitos aprendidos e reafirmação dos costumes mudados (por ex., assim como os alunos economizaram água para a confecção das mudas, resolvem também economizar água em suas atividades diárias na escola, em suas casas e em outros locais)

6 - Os alunos “cuidam de uma árvore-bebê” pelo período de um ano.

7 - Uma parcela das mudas confeccionadas artisticamente e cuidadas pelos alunos será exposta na escola por um determinado período até a época do plantio definitivo.

8 - Outros

  
PLANO DE AÇÃO

Em atendimento à realidade sistêmica dos fenômenos físicos e biológicos do planeta terra, e em atendimento à intrínseca relação meio ambiente/problemas sociais, o projeto Espaços Verdes reúne professores e ministrantes de palestras e oficinas relacionados a todas as disciplinas escolares, de tal forma a transmitirem conceitos que integrem os diversos ramos do conhecimento humano à problemática ambiental, ecológica e social.



PÚBLICO ALVO

Alunos do primeiro e segundo grau, funcionários, pais, moradores da comunidade e os próprios educadores.


CONCLUSÃO

O Projeto Espaços Verdes reflete, em toda sua constituição e dinâmica aplicativa, a importância da valorização da participação individual e coletiva em prol da preservação do ciclo natural da vida no planeta Terra. É chegado o momento de todos nos conscientizarmos das questões ambientais como um todo e agirmos sistematicamente para encontrar equilíbrio nas relações estabelecidas entre os seres vivos e os recursos naturais. Inicia-se, então, o despertar de nossas ações e valores ambientais e sociais na escola e na comunidade, a fim de que, gradativamente, as ações se multipliquem em âmbitos maiores e alcancemos a participação efetiva e construtiva, o respeito à biodiversidade e a consequente melhoria na qualidade de vida dos indivíduos.

Setembro/2012
Publicado em janeiro/2013
Reeditado com melhorias em 26/julho/2013

Analuci P. Spinola e Luiz V. Spinola

Por favor, se você, ou sua instituição, copiar e reproduzir este texto, mencione esta fonte e o seu link :
Fonte : Ambiente Ecológico - blog
http://ambienteecologicoblog.blogspot.com.br/2013/01/projeto-de-educacao-ambiental-e-social.html


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS....

Este modelo de projeto foi inspirado em leituras, vivências e no artigo :
(neste blog)

Grupo relacionado a este blog
Visite e Participe !!



Os Grupos-Ambiente segmentam os assuntos dos diversos ramos do conhecimento para incentivar a participação e facilitar o acesso de pesquisadores

Um blog relacionado a cada grupo para conter as melhores postagens !! 

 
Cadastre o seu email nos grupos que mais gostar !! E participe !!

Ensaios de previsões muito antecipadas de eventos severos, de terremotos e de erupções vulcânicas - Inédita pesquisa sobre o magnetismo solar !!

Participe nos Blogs e Grupos-Ambiente colaborando financeiramente com seus colaboradores e projetos. Desta forma você também ajuda a CONSTRUIR UMA NOVA HUMANIDADE !!

Email, endereço, telefones atualizados 

6 comentários:

  1. Quero parabenizar o grupo pelo excelente trabalho mostrado neste blog. O assunto é deveras relevante e exige de cada um de nós ações urgentes de conscientização da necessidade de mudanças de hábitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vera !!

      Gratos e em sintonia com o que expressou.

      Veja um dos parágrafos de outro texto que está para ser publicado (de autoria de Iria Zanoni):

      "....Quando falamos em mudança de atitude, estamos nos referindo à mudança de consciência, ou seja, mudança de percepção, de valores, de modos de viver, de escolhas. Eu perguntaria: é possível discutir mudança de consciência sem passar por uma reflexão dos pressupostos da visão de mundo predominante e que orienta nossas escolhas desde o século XVII? Visão fundamentada no desenvolvimento do conhecimento científico e tecnológico e que se transformou na própria ideologia do capitalismo, apesar do pressuposto de ciência objetiva, neutra, expressão da Razão, que nos possibilitaria, enfim, conhecer tudo e ser felizes? Além disso, quando falamos em desenvolvimento sustentável não estamos partindo do pressuposto de que desenvolvimento tem a conotação de crescimento, de transformação em algo colocado a priori? Estou pensando nas intensas discussões, nas décadas de 1960 e 1970, a respeito do conceito de desenvolvimento: crescimento econômico x distribuição social, desenvolvimento x subdesenvolvimento, nações centrais x nações periféricas, sociedades tradicionais x sociedades modernas, desenvolvimento x marginalidade, marginalidade x trabalho assalariado x pobreza etc...."

      É interessante você seguir, também, o Ambiente Social - blog, tendo-se em vista as intrinsícas relações entre problemas ambientais e sociais.
      http://ambientesocial.blogspot.com.br

      Abração !!....Luiz

      Excluir
    2. Olá Ria de cássia !!

      Fico feliz por você encontrar aqui subsídios ao seu trabalho. Grato pelos links compartilhados. Ótimo o seu trabalho !!....Abração !!....Luiz

      Excluir
  2. Parabéns pela excelente iniciativa de divulgar estratégias de ensino. Paulo Freire nos ensina a refletir, sobre os saberes necessários à pratica da educação e do mundo em que vivemos. “Quem ensina aprende ao ensinar, e quem aprende ensina ao aprender" (Freire).
    Brevemente também publicarei nossas experiências exitosas.
    Abraços,
    Cacilda

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, Cacilda !!....Também em nome da Analuci, que foi a executora do projeto Espaços Verdes....pelo reconhecimento e estímulo !!

    Realmente, sempre que ensinamos, estamos a aprender. Até mesmo com os animais aprendemos boas lições !!....A meu lado está um patinho que encontrei perdido. Felizmente, nasceram pintainhos nestes dias. Então, peguei um deles e coloquei junto com o patinho em uma caixa aquecida. Os dois se irmanaram de imediato e agora vivem relativamente felizes trancafiados dentro de uma minúscula caixa (logo vou providenciar um viveiro). "Não apenas as necessidades, mas também o genuíno sentimento de amizade podem fazer com que os diferentes convivam em harmonia" !!

    Aproveitando : quanto às práticas do projeto acima, publicado em setembro/2012, há duas interessantes novidades para enriquecer as práticas educacionais nas escolas : a aplicação das técnicas da HERMETICULTURA nos projetos de hortas e a MELIPONICULTURA. Olha os dois links :
    https://groups.google.com/forum/#!topic/ambientealternativo1/MBXjToieeIk
    E :
    http://ambienteecologicoblog.blogspot.com.br/2013/07/projeto-de-meliponicultura-nas-escolas.html
    A meliponicultura, além de outros benefícios, insere mais um elemento anímico no ambiente escolar, importante para desenvolver o amor à vida de uma forma geral e o senso adequado de relação entre humanos e animais.

    Quando publicar os seus trabalhos, Cacilda, nos informe. Ficamos curiosos !!

    Abração !!....Luiz

    ResponderExcluir


COMENTE E PARTICIPE COM O SEU CONHECIMENTO !!

Participe também no grupo Ambiente Ecológico (digite estes termos no Google ou clique no link oferecido acima

Você também pode solicitar a publicação dos seus artigos enviando um email para : gruposambiente@gmail.com (não insira este email em listas)